quarta-feira, 6 de outubro de 2010

THE MANIAC ROCKERS



por Alexandre Salton de Souza Aranha “Preto Aranha”

Os dois amigos de infância, Alexandre Salton de Sousa Aranha e Luís Carlos Greco da Silva, andavam alucinados pelas ruas de Londrina, depois do contato que tiveram com os discos Sewertime Blues, The Meteors; The Full Custom, Gospel Sounds; The Reverend, Horton Heat e alguns outros tapes da Mad Sin e coletâneas com psychobilly europeu.

Lino, apelido que Luís Carlos ganhou, com os galeritos dos anos 80, no Conjunto Habitacional Gávea, não aguentava mais ter a fama de roadie da banda K'Bides e então, não demorou para que, Lino (vocal), Preto Aranha (guitarra) e Fabrício (bateria), convidassem também Diogo Bichão (baixo) e assim, formassem THE MANIAC ROCKERS uma insana banda de rock, que, traria letras de sangue esparramado pelo chão, sexo bruto e também, por quê não, falaria mal da vizinha gorda, da casa do lado debaixo, a necessidade era tocar o som que há tempo ouvia com os amigos, nas “quebradas dos igarapé mais podre” de Londrina: o PSYCHOBILLY.

Realizamos então o primeiro ENSAIO no dia dos mortos (02/11/94) no Jardim Alvorada, na mansão que só o pai e a mãe do Fabrícião, proporcionavam para os roqueiros doidos, molecada chupeta da cabeça. Era notório para os pais dos integrantes da banda que, estes, já estariam envolvidos com coisas do tipo, alucinógeno B, mas de qualidade A, foi então que perdemos o espaço de ensaio na mansão dos Santesso, migrando então os ensaios para o Gávea, na casa do Lino.

SHOWS: a banda começava a se apresentar em vários lugares, ULES, DCE, o falecido Bar Mecenas, point da city para shows de galerosos, chácaras regadas a muitas cervejas e garotas, campeonatos de skate, foram alvos constantes de apresentações da banda e até numa “casa de shows de luz vermelha”, no Jardim Bandeirantes, onde moças lá, ficavam sem calcinha por debaixo das saias e, estas sendo de couro, não mediam mais que 25 cm. As mulheres deste prostíbulo, nunca haviam visto topetes tão arrojados e, com certeza se hoje alguém perguntasse a elas, se sabem o que é PSYCHOBILLY, elas se lembrarão daqueles quatros jovens rockers arruaceiros.



Em abril/1996, o Fabrício deixava a banda nas vésperas das gravações de quatro músicas: ATTACK OF THE BÉQUI-MEN; I´M GONNA KILL YOU; SHE´S A VAMPIRE; ANDRADE para a coletânea PSYCHORRENDO. Precisávamos de um baterista urgente, pois já tínhamos o compromisso de enviar uma fita matriz pra São Paulo/SP, iríamos participar da primeira coletânea PSYCHOBILLY do Brasil em CD, a produção já estava atrasada, aguardando apenas a gravação, dos roqueiros maníacos, do interior do Paraná. Foi aí que, após tentativas frustradas com testes e retestes, para achar um batera, Lino resolveu então assumir o vocal e a bateria. A qualidade da gravação foi considerada por muitos, uma das melhores da coletânea. Com isso, a banda se tornava novidade e saímos pra tocar nas duas primeiras edições do Psycho Fest, festival de música psychobilly, que rolou no mesmo ano.

Em dezembro/1996, Bichão foi tentar a vida no Japão e deixou a banda, Arikiller, assumiu o baixo. Nesse ano, a banda se apresentou em alguns bares da city e a realização de um show marcante foi na favela da Marizia, próxima à Avenida Brasília, ali, os galerosos, os manos e as minas, cada um com um terçado na mão, estavam preparados a furar os roqueiros maníacos, se estes errassem qualquer nota, daquele psychobilly clássico. No decorrer da apresentação, a maloqueirada de plantão viu que os roqueiros, não eram flores que se cheirasse também, afinal, nunca nenhuma banda de rock tinha tocado naquele lugar e, depois de 7; 8 músicas a caixa amplificada, do dono do bar, queimou e fomos todos pro balcão, tomar cerveja com a galera doida. Esse show ficou conhecido como LIVE IN FAVELA 96. No fim de 1996, The Maniac Rockers gravou a demo-tape, A TUMBA, que traria dois hits: “Sangue Contaminado” (atualmente interpretada pela banda, The Brown Vampire Catz) e “A Tumba” (atualmente interpretada pela banda, Billys Bastardos), esses sons rodou o Brasil afora, diante dos contatos que o Lino, mantinha através de seu fanzine, Batmozine.

Em janeiro/1998, Arikiller se desentendeu com Lino e o Theo666, ex-Frenetic Trio, assume a baixaria. A banda recomeçava os ensaios, usava a casa de amigos como estúdio, depois de algum tempo, resolvemos ir pra Rolândia, ensaiar no estúdio do Pulga, ex-Cyclone Phill. O voyaginho branco bebia muita gasolina e então, Seu João, pai do Lino, interrompeu a ajuda de custo e assim, começamos a praticar no estúdio O PORÃO.

Foi aí que, em 05/1999, Theo666 resolveu deixar a banda por divergências que, com certeza não era o tipo de som e sim, somente divergência política uma vez que, Jaime Lerner, acabava de assumir o Governo do Estado do Paraná, Preto Aranha aproveitou a carona e deu linha na pipa também. Portanto, com a saída de ambos, Lino, sozinho, não daria continuidade na sonzera, marcando assim o fim da carreira da THE MANIAC ROCKERS que, com certeza, é tida como uma das principais bandas de rock alternativo de Londrina. É Importante lembrar que, a banda contou com participações relâmpagos como as de, Maguininho (baixo); Osmar Cavera (baixo); Camurça (bateria); Beiço (bateria) e Fernando (bateria) onde, estes realizaram 2; 3 shows com a banda.






Lino - Preto Aranha - Theo666

PARA DOWNLOAD DAS 04 FAIXAS DA COLETÂNEA PSYCHORRENDO

CLICK AQUI: http://www.4shared.com/dir/oZhazWeg/sharing.html


Agradecimentos.

Regina Fedri pela revisão de texto

Juan Diaz pela digitalização dos cartezes "Go Back o Show" "Brux" e "Nomad bar".

Videos acervo Valquir Fedri - Gustavo´s Bar 18/04/1998 - Lino - Preto Aranha - Theo666


5 comentários:

  1. velhos tempos esses... relembrar o lino tocando batera de sunga kkkk... não está em vídeo mas esta na cachola, esse show do gustavos foi meu bota fora do cherry!!!.... e pensar que 80% da zumbizada de hoje perdeu de ver essa raridade do cenário!!
    abraço ae lino onde quer que esteja, aranha, theo e demais maíacos!! pra quem nunca tinha visto agradeçam ao velho rocker valquir pelo seu fudido acervo!!
    ass. lucas

    ResponderExcluir
  2. Esse blog tá fantástico, Valquir!
    Te devo o texto das Grogues, né?
    E preciso também passar minhas VHS pra DVD antes que vire bolor.
    Essa fotinho aí dos Maniacs fui eu que tirei na casa do Osmar! Quanta lembrança... bons tempos.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Layout ficou jóia.

    E nada a dizer desses maníacos. hehehe Bom bagarai.
    Aquela foto do Theo de óculos segurando um monte de cana tá demais. hahahaha
    Vixi, fí!

    ResponderExcluir
  4. maniac rockers from hell!!! sem palavras!!! texto impagável e a banda fera do mar, que não devia ter acabado!!! stay psycho!!!

    ResponderExcluir